• Lívia Lino

diante o caos, arrumei as gavetas.




cheguei em 2022 sem a sensação de que 2021 tinha mesmo acabado. uma sensação de exaustão, uns pensamentos nebulosos. ao mesmo tempo que sabia o que buscava pra esse ano, estava tudo muito embaralhado.


achava que precisava me mudar de apartamento, ir pra um lugar maior. comecei a procurar, visitei vários apartamentos, cheguei a enviar documentos, alguns deram errado já na hora do contrato. depois entendi que deu certo. segui procurando outros, cada um parecia melhor que o anterior - mas nenhum tão completo assim.


num dia aleatório esperando a resposta do quinto andar para o novo contrato, me veio um pensamento: talvez eu não queira me mudar, talvez não seja o momento. e lá fui eu, pra boa e infalível lista de prós e contras. peguei o primeiro papel e a caneta falha que encontrei. realmente, não fazia sentido fazer essa movimentação agora.


fui falar com meus alicerces, entre uma reflexão e outra recebo a seguinte mensagem: “desfrutar o local de moradia, pode ser melhor que o espaço interno.” nesse momento, me dei conta que eu estava querendo na verdade era fazer movimentações, criar espaços. comecei a mudar móveis de lugar, tirar tudo das gavetas do armário e arrumar. olhei coisas da casa que procrastinava um tempo e ajustei.


desapeguei de alguns móveis, algumas roupas, otimizei espaços, joguei papéis fora. a gente não percebe, mas vai acumulando tanta coisa. esse acúmulo reflete no corpo, nos pensamentos, nas dúvidas e nas certezas.


trocando com uma amiga ela falou que nunca esqueceu quando, na escola, a professora falou pra arrumar as gavetas. o ensinamento acabou reforçando o que eu já estava fazendo e agora tô aqui passando adiante pra vocês.


diante o caos, arrume suas gavetas. crie espaço pro novo e destino pro que não faz mais sentido. a vida vai fluir diferente, vai trazer presença pro nosso corpo e pra nossa casa.


agora sim, 2022 começou.


mesmo sem carnaval, feliz fevereiro.


beijo grande,

Lívia.